O WhatsApp anunciou que começará os testes de novas ferramentas para serem usadas por empresas para sua comunicação com consumidores. É a primeira vez que a empresa, criada em 2008 e comprada pelo Facebook seis anos depois, cria uma iniciativa para o mercado corporativo.

A ação também indica um caminho para a companhia começar a gerar receita – a empresa tem mais de 1 bilhão de usuários ativos em seu aplicativo por dia, todos usando o serviço gratuitamente.

 

Ainda em avaliações

Os testes serão feitos a partir de pilotos com companhias selecionadas. O WhatsApp não informou quantas empresas participam desta etapa do desenvolvimento das ferramentas.

A empresa afirmou que ainda não há uma data de lançamento das novas funções, mas elas devem chegar ao mercado em alguns meses.

Em um post em seu blog oficial, o WhatsApp afirma que o aplicativo já é usado para a comunicação entre consumidores e companhias, porém de modo rudimentar.

 

Como vai funcionar?

A ferramenta deverá trazer novas formas de gerenciar múltiplas conversas e maneiras mais eficientes para reconhecer se uma comunicação corporativa vem de conta confiável – desafios que o WhatsApp reconhece existir para empresas que usam o app hoje.

Haverá um aplicativo gratuito para pequenas empresas e uma solução mais robusta para grandes, como companhias aéreas, lojas virtuais e bancos. Elas poderão usar o serviço para oferecer informações como horários de voos e confirmações de entrega, por exemplo.

Segundo o WhatssApp, é possível que empresas venham a pagar uma taxa pelo uso do app, mas isso não deve acontecer no curto prazo.

 

Em teste no Brasil

Por aqui, o serviço é testado pelo banco Itaú. Inicialmente ele é oferecido para alguns clientes na categoria Personnalité Digital (segmento de contas digitais para alta renda). Os participantes do piloto podem se comunicar com seus gerentes a partir do aplicativo, além do e-mail, chat e mensagens SMS.

Do lado dos gerentes, as mensagens que chegarem pelo aplicativo irão para uma caixa junto com as mensagens recebidas pelos outros canais, com cores diferentes identificando a origem de cada uma delas.

O diretor-executivo do Itaú, Ricardo Guerra, diz que o banco rotineiramente recebe pedidos para incluir o canal do WhatsApp em seu atendimento. A participação no piloto vem com o objetivo de atender essa demanda reprimida, segundo ele.

A princípio, o Itaú não terá uma conta verificada que garanta aos clientes que receberem mensagens que o conteúdo é realmente do banco. Para garantir o máximo de segurança aos clientes, a empresa deverá divulgar o número com o qual atende para que eles o reconheçam ao serem contatados.

O projeto deverá ser ampliado aos poucos. Entre as funções que o banco estuda incluir estão envio de notificações e alertas.

O banco diz que a iniciativa contará com o envolvimento de mais de 50 profissionais em contato direto com a matriz do WhatsApp no Vale do Silício (EUA).

Leia também

Deixe uma resposta