Da redação

O varejo de veículos seminovos e usados registrou em média perda de 62,58% no volume de vendas no mês de abril em comparação com o mesmo período do ano anterior. O dado é fruto do levantamento da Auto Avaliar, com base nas transações realizadas entre 3,2 mil concessionárias e cerca de 30 mil lojistas multimarcas no Brasil.

Segundo análise na plataforma da Auto Avaliar, que congrega mais de 75% do mercado de repasse de seminovos e usados entre os distribuidores e as lojas de rua no País, Sergipe registra maior perda entre os estados, com 88,9% de queda, seguido por Alagoas, com 83,3%, e Tocantins, com 80%.

A análise foi feita com base nas transações de seminovos e usados entre concessionárias e lojistas no Brasil nas datas de de 1 a 19 de abril deste ano, auge da pandemia e isolamento social no País, em comparação com o mesmo período do exercício anterior. No total, foram avaliadas cerca de 7,4 mil negociações no varejo brasileiro de automóveis.

Por outro lado, os estados de Roraima e Espírito Santo registraram aumento no volume de transações no período, com 200% e 14,6% de crescimento, respectivamente.

Segundo JR Caporal, CEO da Auto Avaliar, o varejo de automóveis tem sido afetado amplamente pela queda da atividade econômica causada pelo isolamento social no combate ao novo coronavírus. “Por outro lado, as negociações pela internet podem ser uma boa alternativa para concessionárias e lojistas neste momento”, diz.

“Por isso, que oferecermos ao mercado o sistema de Avaliação Online, que permite ao consumidor enviar pela internet para as concessionárias as informações e fotos do carro ofertado na troca por um novo modelo. Na sequência, os distribuidores avaliam os dados e retornam com uma possibilidade de negociação”, acrescenta.

“De qualquer forma, o repasse online de seminovos é atualmente uma estratégia utilizada pelo varejo automobilístico para ampliar seus negócios no Brasil, em paralelo com as vendas de zero quilômetro. O uso de uma plataforma B2B para comércio de veículos traz mais agilidade e garante, sobretudo, maior transparência no repasse de automóveis feito entre concessionárias e lojistas”, conclui.

Leia também